Wednesday, April 21, 2010

Dois poemas de Dalva Contar.

Abrilhantando o nosso blog, a  presença hoje  de 2 poemas de nossa amiga poeta, escritora e artista plástica paulista Dalva Contar. Uma bela leitura e um final de semana de muita celebração para vocês!


SUSTOS

Não me assusta
o inexorável esperar do fim.
Nem toda a dor do mundo
que arde irremediável no meu peito.
Não me assusta
o passar veloz
das primaveras.
O independente tempo
de calendários solenes
sobre a mesa
e nas paredes.
Páginas que trocam de lugar
na dança de números e ponteiros.
Não, não me assusta
a máscara do espelho;
o sangue que envelhece
e contamina.
O desconhecido.
O esperado fim.
Não me assusta,
nem solidão,
nem companhia.
Nada me assusta.
Nem o impossível querer,
o sofrido amar.
A espera.
Ninguém.
Nada...




CAMINHOS

Piso sobre as pedras
e vou contando a noite.
Teço uma teia
entre a terra e o céu.
Vislumbro luzes
de estrelas próximas
e retenho o pulso
ao peito de uma fera.
Existo na manhã
que nem nasceu ainda.
E morro numa noite
mais escura
e bela.




 Poemas de Dalva Contar.


Ilustrações: I- Rostos, trabalho da artista plástica Dalva Contar, II- Foto da aurora boreal.

7 Comments:

Blogger Altair de Oliveira said...

Ficou bonito mesmo, Dalva! Este rosto do desenho se mantém impassível por qualquer grau que o virem, tomando um ar de impávido.

1:03 PM  
Anonymous edsonpaulucci said...

A Dalvíssima é minha amissíssima
há muitíssimo tempo.
Não há superlativo que designe seu talento, sua beleza e sua inteligência.
É uma estrela e é.
Adoro essa menina.

3:43 PM  
Blogger Edson Rufo said...

Perfeito quando se junta a arte a palavra e a mulher.
Belo texto otima obra.
Sensibilidade de luz.
Que a clareza e os sentimentos sejam companheiros eternos do seu talento
abraços
Edson Rufo

5:36 PM  
Blogger doracy said...

Dalva muito lindo mesmo.
Você é uma estrela que brilha neste universo imenso.
Parabéns, te admiro muito .
Beijokinhas da amiga Dorinha

6:16 PM  
Blogger Adila said...

Como disse o amississimo da Dalvissima ela também é otimissima em seus poemas...
me identifiquei muito...
simples e profundo, sem meias palavras...

9:37 AM  
Anonymous Sandra said...

Dalva!
O talento não é algo que possa ser adquirido, ele nasce com a pessoa! E você, não por acaso, foi uma entre tantas pessoas escolhida por alguém muito maior a ser merecedora entre outras coisas de tão fantástico dom.
Beijos, com carinho
Sandra.

10:50 AM  
Blogger Lúcia Gönczy said...

Dalva,
grata surpresa, menina. teus poemas são maravilhosos. amei de verdade.
Altair, parabéns pelo Blog; tá de primeira qualidade.

beijos

Lúcia Gönczy

3:55 PM  

Post a Comment

<< Home